Iniciativa Computação na Escola

A computação está impulsionando a criação de empregos e a inovação em toda a nossa economia e sociedade. Hoje para ser um cidadão bem-educado num mundo permeado de Tecnologia da Informação, todos devem ter uma compreensão clara dos princípios e práticas da Computação, o que vai além do simples uso da TI.

ensino

Este conhecimento é necessário para preparar os alunos para inserção no século 21, independentemente da sua área final de estudo ou de carreira profissional. Profissionais em qualquer disciplina – sejam artistas, designers, profissionais de comunicação ou saúde, artesãos ou empresários – precisam entender computação para serem produtivos e competitivos em suas áreas.

Além disso, as perspectivas de carreira na área de computação são brilhantes.  A procura por profissionais na computação está entre as que mais crescem tanto no Brasil quanto mundialmente. Somente no Brasil estima-se a necessidade de formar mais de 75 mil de profissionais de TI anualmente com a tendência a aumentar mais ainda. Além disso, está entre as carreiras mais bem remuneradas e oferece uma amplitude enorme de possibilidades inspiradoras e criativas de atuação profissional nos mais diversas áreas, da Saúde às Artes.

A Iniciativa Computação na Escola é dedicada a ampliar o ensino de computação nos Ensinos Fundamental e Médio. Nossa visão é que todos os alunos em todas as escolas devem ter a oportunidade de aprender computação.
 

Crie Apps Crie Jogos Crie Robôs

 

 
Acesse o site da  Iniciativa Computação na Escola! Acesse também o nosso informativo Por que Ensinar Computação nas Escolas?

Sobre o Autor

possui graduação em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989) e Doutorado Acadêmico (Dr. rer.nat.) em Ciências da Computação pela Universidade de Kaiserslautern (1996). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal de Santa Catarina, onde é professor do Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação e dos cursos de graduação em Ciências da Computação e Sistemas de Informação. É também professor e orientador de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação da Universidade Federal do Paraná - UFPR. Tem experiência nas áreas de Produção de Conteúdo para TV Digital Interativa, Informática em Saúde, Processamento e Análise de Imagens e Engenharia Biomédica, com ênfase em Telemedicina, Telerradiologia, Sistemas de Auxílio ao Diagnóstico por Imagem e Processamento de Imagens Médicas, com foco nos seguintes temas: analise inteligente de imagens, DICOM, CBIR, informática médica, visão computacional e PACS. Coordena o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital - INCoD. É também Coordenador Técnico do Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC), coordenador do Grupo de Trabalho Normalização em Telessaúde do Comitê Permanente de Telessaúde/Ministério da Saúde e membro fundador e ex-coordenador da Comissão Informática em Saúde da ABNT - ABNT/CEET 00:001.78. Atualmente também é membro da comissão ISO/TC 215 - Health Informatics. Foi coordenador da RFP6 - Conteúdo - do SBTVD - Sistema Brasileiro de TV Digital/Ministério das Comunicações. Foi o criador e primeiro Coordenador do Núcleo de Telessaúde de Santa Catarina no âmbito do Programa Telessaúde Brasil do Ministério da Saúde e da OPAS - Organização Pan-Americana de Saúde e criador do Núcleo Santa Catarina da RUTE - Rede Universitária de Telemedicina.